Como formatar meu negócio em franquia?

Tempo de leitura: 5 min

em 28 de maio de 2022

Entender como formatar seu negócio em uma franquia é essencial para expandir a empresa, criando mais espaço no mercado, consolidando sua marca bem como para aumentar os lucros.

Afinal, traz a possibilidade de outros empreendedores acreditarem e apostarem nas suas ideias.

Entretanto, existem muitas dúvidas referente ao tema, já que nem sempre as empresas começam com a ideia de franquear ou possuem pessoas qualificadas que mostram como a preparação inicial começa.

Pensando nisso, nesse post, você vai descobrir o passo-a-passo de como iniciar essa mudança e garantir uma formatação mais tranquila e próspera.

Boa leitura!

1# Entenda o conceito e saiba o que esperar

formatação de franquia

O primeiro passo de como formatar seu negócio em franquia é entender exatamente a que se refere essa rede e quais as expectativas em relação a mudança.

Sendo assim, uma franquia é, em resumo, um modelo de negócio.

Esse modelo funciona a partir da concessão do direito de uso para terceiros, dado por um empreendedor que também é o fornecedor.

Portanto, o franqueado usa esse modelo para operar em locais diferentes de onde a sede está localizada. Seja online ou físico.

Inclusive, dá para franquear diferentes tipos de negócios, desde marcas, produtos, serviços e mais.

Inclusive, esse sistema já está previsto na Lei da Presidência da República nº 13.966.

Assim, você deve esperar algumas questões burocráticas a serem resolvidas e uma série de vantagens.

Como a expansão do seu negócio, redução de responsabilidades trabalhistas, compartilhamento de gestão facilitado, diluição de riscos e mais.

No geral, você possibilita que a sua empresa cresça, mas sem que você seja o único a gerir e se responsabilizar.

2# Como formatar meu negócio em franquia: análise de franqueabilidade

A análise de franqueabilidade consiste em definir o quanto a sua empresa tem potencial para se tornar franquia.

Ou seja, funciona como o ponta é inicial de verificação.

Não à toa, já existem consultores especializados no assunto como por exemplo a 360 franchising, sendo que o principal objetivo inclui avaliar:

  • Fornecimento de tudo que o franqueado pode precisar;
  • Logística de entregas;
  • Aspectos estruturais da empresa;
  • Problemas previsíveis e resoluções;
  • Adequações necessárias para a expansão, etc.

Neste momento, também é essencial considerar as características da sua empresa e do que ela oferece.

Para isso, existem três principais questões a serem respondidas:

  1. O seu negócio tem demanda em outros mercados?
  2. Aquilo que o seu negócio faz pode ser reproduzido sem a sua presença?
  3. Qual o formato ideal para as franquias considerando número de colaboradores, impostos, exigências legais, etc?

3# Coloque a burocracia em dia

formatação de franquias

Um dos passos de como formatar seu negócio em franquia é já partir para a parte burocrática.

Assim, o ideal é começar registrando a sua rede, caso isso ainda não tenha sido feita.

Afinal, é preciso ter o registro no Instituto nacional de Propriedade Industrial (INPI) para que as franquias possam ser criadas e evitar roubos de marca.

Em outras palavras, você detém o direito sobre o negócio.

Da mesma maneira, outras questões burocráticas devem entrar em ação, como a definição das taxas de publicidade e da franquia.

Inclusive, reserve um tempo para analisar qual a previsão de tempo de retorno para o investimento, capital inicial e royalties.

Em suma, esses são também os principais dados que os franqueados em potencial vão precisar.

Logo, você consegue elaborar o COF – Circular de Oferta de Franquia, que é uma exigência legal.

O COF oficializa o seu negócio neste formato, sendo que é nele que estão todos os dados referentes ao modelo.

4# Como formatar meu negócio em franquia: estabeleça o plano de negócio

O plano de negócio engloba uma série de questões legais e funcionais.

Em primeiro lugar, defina qual é o modelo que pode ser reproduzido de maneira que o franqueado alcance resultados positivos.  

Sendo assim, você estabelece o que deve ser feito, e que você faz na empresa, considerando possíveis variantes do mercado.

Enfim, crie um padrão a ser seguido.

Geralmente, é neste ponto que as empresas trabalham no propósito, meio de atuação, formato de atendimento, produtos/serviços oferecidos e mais.

Em segundo lugar, o plano envolve questões de custo, como:

  • Custos da instalação;
  • Exigências básicas do espaço;
  • Diferenciais oferecidos pelo negócio;
  • Potencial de lucratividade;
  • Royalties sobre o faturamento das franquias;
  • Custos de produtos gerais necessários, etc.

Aqui também é importante considerar o que os colaboradores irão fazer e, com isso, os conhecimentos que devem ter.

5# Manuais, treinamentos e outros programas

formatar negócio em franquia

Como o foco é criar uma franquia, ou seja, um modelo a ser reproduzido, é essencial que você ofereça esse conhecimento.

Para isso, o meio mais usado é o Manual da Franquia, um documento completo com todas as informações que o franqueado deve ter.

Desde comportamentos, método de abordagem, atendimento, informações sobre produtos/serviços e mais.

Também é interessante definir o padrão diário, considerando normas e procedimentos técnicos, atividades diárias a serem realizas e assim por diante.

Não à toa, uma das atividades mais comuns dos negócios é oferecer aos franqueados treinamentos ou programas.

Esses treinamentos visam ensinar sobre a empresa, propósitos, funcionamento, uso da imagem, marketing e tudo o mais.

Dica de ouro

Nesse momento, é válido ter na equipe alguém que o auxilie em outras questões que podem surgir.

Como a alteração do contrato social da empresa, registro de métodos/patentes, criação de centrais de atendimento ao franqueado e o que mais surgir.

6# Estratégia de venda: como formatar meu negócio em franquia

Ao chegar no sexto passo, é hora da estratégia de venda.

Em síntese, isso funciona para definir as características do mercado e franqueado, para fazer a seleção correta.

Com isso, aumenta as chances de sucesso das franquias, evitando perdas.

Um modelo bastante comum é o modelo em espiral. Ou seja, as novas franquias vão se expandindo a partir de onde a matriz está localizada.

Isso facilita o conhecimento do público e, consequentemente, eleva as chances de sucesso.

Logo, uma dica é definir as características que o seu negócio pede em relação a possíveis franqueados. Considerando valor investido, nome/reputação no mercado, espaços de desenvolvimento e assim por diante.

Uma dica especial é circular a oferta e ter um pré-contrato de franquia, com requisitos.

Depois, vem o contrato final, que determina direitos e obrigações de cada uma das partes.

Enfim, agora que você sabe como formatar seu negócio em franquia, já decidiu se vai ou não começar?

Aproveite para avaliar melhor o seu negócio, considerando pontos fracos e fortes, questões estruturais e avance em direção ao futuro.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade